.o nascer de Elisa

.

.

12 novembro, 2017.

1h24AM

 

numa noite pouco tranquila e com a ansiedade e preocupação tomando conta de todos que foram correndo esperar elisa é que nasceu a pequena da família que se mostrou forte desde fevereiro de 2017, em um ano cheio de dificuldades num país e nos universos individuais, na vida da mamãe gabriela que não esperava agora receber elisa.

há pessoas que dizem existir seres na vida que carregam uma dose extra de energia e força vital. elisa, ao vencer os milhares de espermatozóides que não escaparam dos efeitos de uma pílula do dia seguinte, se mostrou resistente e comprovadora de sua vontade de existir aqui entre a gente.

pequena elisa veio vindo na barriga de gabi, sorrateira, chegando devagar, na sutil força de seu espírito e personalidade, que se fez presente nas 39 semanas de gestação, cheias de enjoos e vômitos e repletas de desassossegos para ver qual seria carinha de elisa que reclama tanto de ficar numa barriga que limita mundo.

elisa chega às 1h24 de uma madrugada dura, de corpos que doíam como doía mais ainda a raque da mamãe dela e os sentimentos e emoções confusos de um papai tentando lidar e sentir-se pai ali numa mesa de parto.

elisa recebe nome que nos marca logo pela forte sonoridade, pela escolha do dia em que veio, a organização dos astros no céu em busca de fazer nascer alguém cheio de elementos de água, terra e fogo que, postos nas casas do mapa da vida, nos anuncia uma elisa de poder transformador: um sol em escorpião, um ascendente em leão e uma lua em virgem. muitas características para serem observadas de perto e se potencializar.

. . .

o espaço das elipses de elisa aqui, agora, é pra mostrar pra pequena menina um grande histórico sobre seus passos nos anos com a gente. dividir com o mundo o que elisa veio fazer, pra mim, sobretudo, ensinar a escrever, a expressar, falar sobre ela é entender como as palavras funcionam nesse acervo de sentimentos e emoções que a gente não domina, se organizar em frases que se perdem na cabeça quando não registradas, entender que colocar sobre elisa no papel é mostrar para mim e para ela que a voz do amor é sempre a que soa mais forte.

 

seja bem vinda, elisa! o mundo já te sente e te recebe.

 

.

.

Leaver a comment