.Ollie, em todas as lutas que envolvam mulheres em transformação

esta é a Ollie. Ollie carinhosamente chamada, oficialmente Olívia. Conheci a Ollie numa fase importante da minha história. Uma fase de redescobertas, das quais ela foi bem capaz de me apresentar. A Ollie é uma daquelas mulheres arianas que te pega na mão e te chama pra luta. Todas as lutas que envolvam mulheres que estejam em fase de transformação. Mulheres que estão fugindo do machismo, mulheres que estão fugindo de imagens de beleza emoldurada pela cultura barbie imposta, mulheres que estão fugindo da submissão. A Ollie tem uma força e uma garra que não mostra assim de cara, que não mostra pra qualquer pessoa, o mundo dela é bem selecionado nas amizades e no amor, e ela escolhe justamente que é pra poder lutar junto dessas pessoas e ir em busca com elas daquilo que desejam de bem para si.

Ela é estudante das Letras como eu, sempre foi, nunca vai deixar de ser, foi lá que a conheci, mas hoje vê que pode ir um pouco mais além e usar do seu grau de inteligência e não submissão pra estudar o mundo das leis que o homem rigorosamente cria e não sabe aplicar. Demorei para apoiá-la, mas logo apoiei quando decidiu mudar o rumo das Letras e tomar ainda mais força no mundo do Direito, uma outra e nova faculdade, pois sentiu que ela é uma pessoa que pode mudar o direito de muita gente. Sobretudo o direito de nós mulheres. Que temos direitos a tantas coisas, mas ainda não sabemos o poder de usufruir.

A Ollie está aí pra mostrar o quanto somos realmente empoderadas. O quanto temos essa força latente dentro da gente e o assunto dela preferido vem sendo sobre desmascarar esse feminismo ainda tímido que temos contato.

.

.

Ela sofreu muitas discriminações na infância e não deseja que esse mundo discriminado continue. Por isso, quer fazer tudo Direito agora. Deixar um legado de liberdade acessível às demais mulheres, que se enxergam mulheres nessa sociedade ridiculamente ainda oprimida. Digo ainda por que sei que ela vai mudar um pouco disso, seja daqui alguns dias, dentro da sua própria casa, seja daqui alguns anos depois de formada e com número de OAB nas mãos, tendo o dever e o direito de cumprir o seu lado cidadão feminino pela cidade afora.

Quero assistir todas essas transformações, como você me assistiu alguns anos atrás – e ainda assiste. Quero vê-la sem nenhuma vergonha de sair às ruas e bater no peito o quão mulher você é. Uma mulher que se renova e se recicla a cada dia. Uma mulher que me deu o prazer de tirar algumas fotografias da forma que ela mais se sentia bonita e feliz com seu próprio corpo – e de lingerie. Sem nenhuma vergonha, sem nenhuma medição de certo ou errado. Simplesmente desejou ser ela e me pediu pra ser eu mesma também, vendo-a como sempre a vi.

A Ollie tem 25 e há 4 caminha comigo. Há 4 anos que vejo ela se ressignificar através do contato com outras mulheres e histórias que chegam até ela e a mim. É um privilégio estar ao seu lado, te fotografar quando você deseja isso, ouvir o que você tem de melhor pra me dar em cada telefonema ou mesa de boteco – que sabemos apreciar muito bem.

Comment (1)

  1. gretacoutinho 23 de junho de 2016 at 20:59

    Texto lindo, muita força e doçura <3

Leaver a comment