falar um pouco sobre mim é poder ilustrar isso dentro de abas de um site, a vontade de montar um espaço pra partilhar coisas e momentos surgiu por querer ver partes de mim mais explícitas e organizadas em ideias, pontuar em escritas que já virtualizo, às vezes intencional, às vezes só pra soltar no mundo e saber que alguém pode me ler, ver e ouvir. indicar obras literárias, escrever sentimentos de um dia a dia, tirar fotos e eterniza-las, guardar pessoas, emoções e situações com a gente, essas coisas que se vive e não se sabe conservar direito. a necessidade de querer registrar pra poder esquecer e abrir espaço pra novas memórias. por meio dessas linhas e dessas intertextualidades todas daquilo que gosto e faço é que vejo uma forma bonita de estender uma parte minha que sempre quero que chegue no outro: pelo aprendizado, pela referência, pela troca e indicações. pela conexão entre familiares e amigos que sempre me pediram sugestões de algo que estive fazendo e eu me perdendo em como fazer isso. o site nasce por essa intenção, de querer indicar coisas e compartilhar o quê sinto ressoar em mudanças e potencialidades dentro de mim. é por meio desses amigos e desse cuidado de me estender até eles, através das minhas vivências e gostos, é que crio o galeria teimosa, pois acho que, no fundo, somos isso mesmo, uma galeria de coleções e informações, uma teimosia em querer saber de tudo, um conjunto de pensamentos, afetividades e sensibilidades.

atualmente, moro em São Paulo, divido um apê, não tenho bichos nem plantas, nunca faço vingar elas, talvez porque o próprio cinza de São Paulo necessariamente me desplante, me faz me sentir fora de camadas e vasos sociais dos quais oscilo – me acho, me machuco, me perco, depois me retomo outra vez, em tudo e com a mesma força.

acredito na nossa Educação, torço pra que possamos olhar mais pra ela, com o zelo e a preocupação de formarmos boas pessoas por aí e que serão capazes de tornar São Paulo um lugar mais sustentável e de gostoso convívio.

milito em coisas que envolvam mulheres, causas particulares ou coletivas, dentro da minha casa-família e em redes sociais quando sinto que posso contribuir com algo, respeito as formas de se expressar e de trocar histórias e experiências. desejo para o outro o que desejo para mim, mas muitas vezes tropeço nesses campos, entre o desejar e o ato de se militar hoje em dia, sinto que estou em constantes descobertas sobre termos e padronizações de comportamentos e personalidades. então, pra mim, nada é imutável, inclusive a minha própria forma de olhar e fazer as coisas para o mundo, onde tudo tem mudado rápido e repentinamente. meu grande desafio hoje é acompanhar isso, refletir nisso e me reconhecer como ser dentro desses universos.

. . .

.

.

Greta Coutinho