.tenho 4 de março nas mãos

.

4 de março.

 

meus sentimentos projetados
a minha falta de força de anunciar meus momentos solitários
a minha necessidade de saber ter sempre alguém gostando de mim
a incapacidade de dar tempo à sequência da vida
a minha inconsciência manipulação de tudo, e controle
as emoções narcisísticas sobressaindo sempre
a minha não organização das pessoas dentro de mim
as minhas mulheres que perco
os buracos masculinos em que me enfio
as minhas palavras da boca que saem sem motivos
racionais, só egos
o excesso de verbalização das coisas
o meu corpo que somatiza
a submissão excessivamente embutida
as metáforas que a vida me traz e
traz junto todo um passado de amorosa dor.

9h22, as minhas folhas e flores de casa me mostrando a possibilidade de respiração no oxigênio turbulento dos acontecimentos,
entremeios de presente e futuro.

9h23, me sento, ereta, as costas planificam as sensações. tenho shiva mudrá nas mãos. é sempre a direita por cima e esquerda para os homens. errar neste momento confundiria as polaridades de meus extremos.
hoje, a meditação me salva.

.

.

.

Comment (1)

  1. gretacoutinho 22 de Março de 2017 at 13:50

    Thanks, great article.

Leaver a comment